Exemplos de Vida reflete a beleza e a singeleza da alma feminina racionalista cristã, nos ensinamentos das nobres mulheres Maria Thomazia, Maria Cottas e Maria de Oliveira. Encontrei nestes espíritos exemplos que dizem muito a todas as mulheres ávidas por esclarecimento. Como mãe e eterna estudante desta doutrina, ao ler e transcrever cada letra de suas páginas, senti que cresci um pouco mais, e deixá-las em meu arquivo pessoal seria demais injusta para com todas, assim, publico seus exemplos e um pouco de suas biografias para quem desejar sentir a vibração e a ternura do amor existente em cada palavra. Maria de Fátima Almeida

O VALOR DO TEMPO

Escrevera, já, certo filósofo que:

"Há uma época para todas as coisas e um momento favorável a todos os propósitos na face da Terra. Um momento propício para nascer e um momento propício para morrer; um momento propício para chorar, e um momento propício para rir; um momento propício para lutar, e um momento propício para divertir-se; um momento propício para ganhar, e um momento propício para guardar, e um momento propício para gastar; um momento propício para calar, e um momento propício para falar; um momento propício para amar, e um momento propício para aborrecer".

Quem meditar nesses conceitos cheios de sabedoria, não pode deixar de admitir que encerram eles profundo conhecimento da vida e de reconhecer que o bem-estar material e espiritual das criaturas não depende de outra coisa senão da capacidade de aproveitar o momento oportuno para adaptar-se ao tempo e às circunstâncias.

Não importa tanto o que fazemos e como o fazemos, senão quando o fazemos; disso depende que sejamos felizes ou desditados, que triunfemos ou fracassemos.

Já ensina a sabedoria popular que aqueles que conquistam fama e fortuna são os que não dormem, os que aproveitam a oportunidade quando esta se apresenta.

No entanto, há homens trabalhadores, dotados de inteligência e até de certa personalidade e que, por essas razões, deveriam contar-se entre o número dos triunfadores, mas que não podem conservar um bom emprego e, às vezes, nem sequer ganhar o suficiente para sustentar a prole com decência.

O motivo desse fracasso, a única razão da sua pouca chance é que se entretém durante a caminhada da vida, em vez de seguir em frente, com denodo e decisão, em busca da meta almejada. Jamais fazem algo a tempo, nem concluem um trabalho começado.

Conhecemos, também, esposas e mães a quem o trabalho doméstico altera os nervos pela simples razão de que nunca fazem as coisas a tempo. São aquelas que nunca fazem as coisas a tempo. São aquelas que nunca aprenderam o valor da oportunidade e, em consequência, se esgotam no esforço cotidiano realizado sem a sujeição proveitosa a um horário, quando, impondo-se por vontade própria a tal norma de vida, lhes sobrariam momentos para descansar e recrear o espírito.

No mundo social, como no dos negócios, a pontualidade é o segredo da popularidade. Nenhum convidado é tão bem recebido como aquele que chega à hora exata para a qual foi lembrado; nenhum é tão temido, como quem tem o hábito de demorar-se e obriga a que se o espere até que os convidados se desesperem.

Sobre todas as coisas o fator tempo exerce importância apreciável no círculo familiar; bem utilizado, contribui ele para que sejam evitados ligeiros desentendimentos e contrariedades que perturbam a paz nos lares e, às vezes, até a felicidade conjugal. "Há um momento propício para calar, e um momento propício para falar", e não há nada que os cônjuges não possam dizer sem temor de iniciar uma discussão, se antes procuram escolher o momento psicológico para fazê-lo.

Se, por exemplo, a esposa procurasse sondar o marido quando ele regressa, à noite, a fim de certificar-se se está de bom ou mau humor, antes de falar-lhe sobre determinado assunto, evitar-se-iam muitas contrariedades. Porque há um momento adequado para participar as más notícias, e outro em que não convém mencionar fatos desagradáveis a quem regressa à casa fatigado, depois de um dia de trabalho intenso. E assim, também o homem pode perceber qual o momento propício para comunicar à esposa, um acontecimento penoso ou até mesmo que não lhe pode dar no momento o dinheiro para isso ou aquilo.

São tantas as vantagens para quem pensa e faz as coisas a tempo, que é lamentável que não concedamos mais importância a esse grande fator "o tempo" e à oportunidade.

Fonte: Livro Páginas Soltas de Maria Cottas